Quarta-feira da 17ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 13, 44-46)

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 
44 ‘O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo. 

Um homem o encontra e o mantém escondido. 
Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens 
e compra aquele campo. 
45 O Reino dos Céus também é como um comprador 
que procura pérolas preciosas. 
46 Quando encontra uma pérola de grande valor, 
ele vai, vende todos os seus bens 
e compra aquela pérola. 

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia da Palavra, segundo Mateus (13, 44-46), nos fala de dá valor às coisas de Deus. Como o homem que ao encontrar um tesouro ou uma pérola vende todos os seus bens para adquiri-los, assim deve ser nossa postura, de homens e mulheres de fé, viver do absoluto, de Deus.

O homem ao encontrar o tesouro ou a pérola vende seus bens, troca-os por um bem maior e mais absoluto: JESUS CRISTO. Como homens de fé precisamos viver a partir de Deus, guiados por Ele. Os bens não são ruins, pelo contrário! Prova disto é que o homem vende seus bens, não os joga fora. Os bens têm sua importância, porém, não deve ser o elemento primordial na vida cristã. Os bens nos ajuda a viver melhor e, inclusive, com mais dignidade, estes, contudo, não nos define, não nos cria e recria. É Deus o Senhor de nossas vidas. O absoluto.

Com o homem sábio que sabe o tamanho da preciosidade do tesouro e da pérola, precisamos aprender a difícil e necessária arte do desapego. É preciso, no caminho da fé, reconhecer a divindade de Deus e o desapego. Estas duas atitudes são extremamente importantes na vida de fé. Com o homem sábio aprendamos a ter o Senhor e as realidades do céu como tesouros preciosos a serem cultivados por nós. Assim seja. Amém.

Leandro Francisco da Silva, SDB

Pós noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *