Bom dia, Quarta feira da 4ª semana do Tempo comum 1ª Parte, São João Bosco.
Evangelho do dia (Mc 6,1-6)
Naquele tempo, 1Jesus foi a Nazaré, sua terra, e seus discípulos o acompanharam. 2Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos que o escutavam ficavam admirados e diziam: “De onde recebeu ele tudo isto? Como conseguiu tanta sabedoria? E esses grandes milagres que são realizados por suas mãos?3Este homem não é o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, de Joset, de Judas e de Simão? Suas irmãs não moram aqui conosco?” E ficaram escandalizados por causa dele.
4Jesus lhes dizia: “Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus parentes e familiares”. 5E ali não pôde fazer milagre algum. Apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. 6E admirou-se com a falta de fé deles. Jesus percorria os povoados das redondezas, ensinando.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor !

Reflexão:

Como pode aquele povo de Nazaré duvidar?
Jesus nasceu naquele lugar, todos sabiam de sua trajetória familiar, da sua bondade desde pequeno, do seu testemunho de vida e dos seus milagres, Más mesmo assim ainda resolvem julgá lo, fofocar, arrumar intrigas, …
Que aprendamos com esta passagem e retiramos o ensinamento, de ao invés de julgar, valorizamos nosso irmão, reconhecendo o que tem de bom para conosco repartir, partilhar, as qualidades herdadas da família essenciais, humildade, honestidade, simplicidade, bondade de coração, paciência, etc,.. E Assim nos alegrarmos sempre, dando graças a DEUS pelas conquistas do irmão, só devemos falar e comentar o que achamos que irá ajudar, construir e não destruir em palavras. Pois quando apontamos um dedo julgando, temos os outros quatro voltados para nós, então nós momentos que houver dúvidas, antes de comentar, falar perguntamos a nós mesmos, o que Jesus faria, como Jesus Cristo reagiria nesta situação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *