Terça-feira da 5ª semana da quaresma

Evangelho (Jo 8, 21-30)

De novo, Jesus lhes disse: «Eu me vou, e vós me procurareis; mas morrereis no vosso pecado. Para onde eu vou, vós não podeis ir».

Os judeus, então, comentavam: «Acaso ele irá se matar? Pois ele diz: ‘Para onde eu vou, vós não podeis ir’». Ele continuou a falar: «Vós sois daqui de baixo; eu sou do alto. Vós sois deste mundo; eu não sou deste mundo. Eu vos disse que morrereis nos vossos pecados. De fato, se não acreditais que ‘eu sou’, morrereis nos vossos pecados». Eles lhe perguntaram: «Quem és tu, então? Jesus respondeu: «De início, isto mesmo que vos estou falando». Tenho muitas coisas a dizer a vosso respeito, e a julgar também. Mas, aquele que me enviou é verdadeiro, e o que ouvi dele é o que eu falo ao mundo”. Eles, porém, não compreenderam que estava lhes falando do Pai. Por isso, Jesus continuou: «Quando tiverdes elevado o Filho do Homem, então sabereis que ‘eu sou’, e que nada faço por mim mesmo, mas falo apenas aquilo que o Pai me ensinou. Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho, porque eu sempre faço o que é do seu agrado». Como falasse estas coisas, muitos passaram a crer nele.

Reflexão

Queridos irmãos e irmãs, louvado seja Jesus Cristo, nosso Senhor!

O Evangelho desta terça-feira da 5ª semana da quaresma nos convida a conversão. Ao conhecimento de Deus. De suas maravilhas. A missão de Jesus era num primeiro momento nos mostrar o Pai, por meio de seus “sinais”. O que nem sempre teve êxito. A mentalidade pagã de um Deus guerreiro e poderoso não permite o povo e os fariseus compreenderem, em Jesus, filho de um carpinteiro, alguém do povo, homem de natureza frágil, o Deus de Abraão, Isaac e Jacó. A rasteira e periférica atitude de permanecer na aparência cobria-lhes os olhos da verdade de Deus, de sua Palavra.

É preciso queridos irmãos, uma atitude de escuta a voz de Deus, de sua Palavra. Assim como o povo que, ao ouvir Jesus acreditava n’Ele, assim também precisamos, no diálogo com o Senhor, na escuta atenta a sua voz, aumentar a nossa fé. Pedir a Ele a graça da fé, rezemos à Ele: “Senhor, eu creio, mas aumenta a minha fé!

Que este tempo da quaresma nos desperte para a conformação com o Senhor, com suas atitudes. Que como Jesus, creiamos na presença de Deus junto de nós, a nos orientar e conduzir no caminho até Deus. Deus nos criou para estar unido a Ele, com a verdade de seu Ser. Para participar, no dia da parusia, da plenitude da vida em Deus.

Leandro Francisco da Silva, SDB

Pós-noviço salesiano

E-mail- leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe sua mensagem para nós: