Sábado da 13ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 9, 14-17)

 

Naquele tempo: 
14 Os discípulos de João aproximaram-se de Jesus 
e perguntaram: 
‘Por que razão nós e os fariseus praticamos jejuns, 
mas os teus discípulos não?’ 
15 Disse-lhes Jesus: 
‘Por acaso, os amigos do noivo podem estar de luto 
enquanto o noivo está com eles? 
Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. 
Então, sim, eles jejuarão. 
16 Ninguém coloca remendo de pano novo em roupa velha, 
porque o remendo repuxa a roupa 
e o rasgão fica maior ainda. 
17 Também não se coloca vinho novo em odres velhos, 
senão os odres se arrebentam, o vinho se derrama 
e os odres se perdem. 
Mas vinho novo se coloca em odres novos, 
e assim os dois se conservam.’ 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia da Palavra deste sábado da 13ª semana comum, nos adverte acerca do jejum. O que torna o jejum importante não é a sua prática, apenas, mas o objeto pelo qual se pratica o jejum, isto é, o próprio Jesus. Ora, os judeus ainda não conheciam a Jesus, como torná-lo objeto de louvor e adoração?

O grande pedido de Jesus é o reconhecimento de sua divindade, da revelação de Deus, n’Ele mesmo. “Porque acaso, os amigos do noivo podem estar de luto enquanto o noivo está com eles? ”, questiona o próprio Jesus. É preciso fazer festa, o noivo ainda está conosco. Os judeus ainda não acreditavam e não acreditam até os nossos dias, na encarnação do verbo. Por isso precisavam fazer jejuns.

Ninguém põe remendo novo em roupa velha. É preciso uma mudança interior, a partir de dentro. É preciso mudar o coração, renová-lo a partir de dentro, a fim de adentrar nele a novidade do evangelho: JESUS CRISTO.

Leandro Francisco da Silva, SDB

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *