Terça-feira da 14ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 9, 32-38)

Naquele tempo: 
32 Apresentaram a Jesus um homem mudo, 
que estava possuído pelo demônio. 
33 Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar. 

As multidões ficaram admiradas e diziam: 
‘Nunca se viu coisa igual em Israel.’ 
34 Os fariseus, porém, diziam: 
‘É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios.’ 
35 Jesus percorria todas as cidades e povoados, 
ensinando em suas sinagogas, 
pregando o Evangelho do Reino, 
e curando todo tipo de doença e enfermidade. 
36 Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, 
porque estavam cansadas e abatidas, 
como ovelhas que não têm pastor. 
Então disse a seus discípulos: 
37 ‘A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 
38 Pedi pois ao dono da messe 
que envie trabalhadores para a sua colheita!’ 

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia da Palavra desta terça-feira da 14ª semana comum nos trata do tema da vocação, aqui entendida e explicitada com outros dois temas: o da necessidade e o chamado, como propriamente entendido. Ambos falam da vocação, do chamado que Deus faz a cada um de nós.

A leitura de hoje, segundo Mateus, nos mostra claramente a maneira e o gesto pelo qual se dá o chamado de Deus. Segundo Mateus, Deus chama a partir de uma necessidade do povo. Somente a partir da identificação de Jesus, de sua empatia, em sofrer com o povo que estava triste e abatido sem pastor. É o clamor do povo de Deus, que O faz agir, chamando mais colaboradores. “A messe é grande, poucos são os operários”. Esse também é um clamor elevado a Deus nos nossos dias. Deus, contudo, ouve, enviando-os às comunidades, dá-nos os dons necessários, cabe a nós, discípulos e discípulas de Jesus, colocar os dons a serviço, doar-se na vida de comunidade, a exemplo do próprio Cristo. Engajar-se nos grupos e pastorais da comunidade é fazer parte da igreja e de sua missão no mundo.

O chamado de Deus pressupõe de nossa parte a livre decisão de segui-lo. Precisamos ter a coragem de ouvir e de seguir sua voz. É preciso ouvidos bem atentos. Que Deus nos dê esta graça. Amém.

Leandro Francisco da Silva, SDB

Pós-noviço salesiano, SDB

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *