Sábado da 15ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Jo 20, 1-2.11-18)

1 No primeiro dia da semana,
Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus,
bem de madrugada, quando ainda estava escuro,
e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. 

Então ela saiu correndo
e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo,
aquele que Jesus amava,
e lhes disse:
“Tiraram o Senhor do túmulo,
e não sabemos onde o colocaram”.
11 Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando.
Enquanto chorava,
inclinou-se e olhou para dentro do túmulo.
12 Viu, então, dois anjos vestidos de branco,
sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus,
um à cabeceira e outro aos pés.
13 Os anjos perguntaram:
“Mulher, por que choras?”
Ela respondeu:
“Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”.
14 Tendo dito isto,
Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé.
Mas não sabia que era Jesus.
15 Jesus perguntou-lhe:
“Mulher, por que choras?
A quem procuras?”
Pensando que era o jardineiro, Maria disse:
“Senhor, se foste tu que o levaste
dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”.
16 Então Jesus disse:
“Maria!”
Ela voltou-se e exclamou, em hebraico:
“Rabunni”
(que quer dizer: Mestre).
17 Jesus disse:
“Não me segures.
Ainda não subi para junto do Pai.
Mas vai dizer aos meus irmãos:
subo para junto do meu Pai e vosso Pai,
meu Deus e vosso Deus”.
18 Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos:
“Eu vi o Senhor!”,
e contou o que Jesus lhe tinha dito. 

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

Celebramos, hoje, sábado da 15ª semana do tempo comum, a festa litúrgica de Santa Maria Madalena, mulher modelo de uma profunda conversão e de fé.

A liturgia da Palavra deste sábado nos traz a figura de Madalena como uma fiel seguidora de Jesus. Ainda depois da morte de Jesus sua forte convicção em Jesus não a permitia abandoná-lo. Foi sua seguidora, mesmo depois de sua morte.

Madalena nos ensina que o amor a Deus pode nos transformar em pessoas melhores, em homens e mulheres convictos de sua fé em Deus. Diante da infidelidade, mal que nos assola a todos, Madalena, depois de sentir-se amada por Jesus, a Ele se entrega inteiramente. Uma fé, antes adúltera, e sem eficácia, pois desprovida de verdade, encontra no contato com Jesus a oportunidade de mudança, de aumento e de verdade. Madalena vê-se encontrada e mudada por Jesus.

Peçamos, neste dia em que recordamos Madalena, a graça da fé, a graça de um relacionamento bonito e de fidelidade com a pessoa de Jesus. Assim seja. Amém.

Leandro Francisco da Silva, SDB

Pós noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *