Quarta-feira da 14ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 10, 1-7)

Naquele tempo: 
Jesus chamou os doze discípulos 
e deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus 
e para curarem todo tipo de doença e enfermidade. 

Estes são os nomes dos doze apóstolos: 
primeiro, Simão chamado Pedro, e André, seu irmão; 
Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; 
Filipe e Bartolomeu; 
Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; 
Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; 
Simão, o Zelota, e Judas Iscariotes, 
que foi o traidor de Jesus. 
Jesus enviou estes Doze, com as seguintes recomendações: 
‘Não deveis ir aonde moram os pagãos, 
nem entrar nas cidades dos samaritanos! 
Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 
Em vosso caminho, anunciai: 
‘O Reino dos Céus está próximo’. 

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia da Palavra desta quarta-feira da 14ª semana comum nos apresenta a cena bíblica do chamado e a da recomendação aos doze apóstolos de Jesus. No Evangelho de ontem ouvíamos a necessidade de se ter discípulos, pessoas de coração aberto dispostos a serem moldados e capacitados por Jesus. Hoje, cumpre-se a promessa de se enviar operários. Esse pedido e exigência é também, e sobretudo hoje, dirigida também a nós.

Os nomes dos discípulos, hoje apresentados pelo evangelista Mateus, pode também significar e conter os nossos nomes. Somos, pelo batismo, participantes da missão profética, régio e sacerdotal de Jesus. Pelo batismo somos chamados, ainda hoje, a participar da missão do filho de Deus. Jesus nos chama, também hoje, para o anuncio do reino. O chamado de Jesus revela-nos a profundidade da humildade e da simplicidade que Deus espera de nós. Uma simplicidade capaz de abrir o coração a ação de Deus. Uma simplicidade que nos faz humildades, abertos ao novo.

Ide, antes, às ovelhas perdidas das casas de Israel. Uma tentação que sempre corremos o risco de cair é a de se prender nas nossas estruturas, nos nossos, na “preservação” das ovelhas que estão no aprisco. O Evangelho de Jesus nos ensina diferente. Pede-nos que busquemos as que estão fora. É a missão do pastor esta, de cuidar e dar a vida pelas ovelhas. Preservar as que estão no aprisco e buscar incessantemente as que estão fora. Que Deus nos dê a todos, homens e mulheres de fé, a graça da transformação do coração, afim de abrir-se a ação e a graça de Deus, transformando-nos em bons pastores, segundo o coração de Cristo, bom pastor.

Leandro Francisco da Silva, SDB

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *