“Meus caros jovens, convido-os a serem corajosos em suas vidas. Estimulo-os a terem a força de ir ‘contracorrente’ quando ressoa com insistência no profundo de seus corações o apelo a serem fiéis a si mesmos e a Jesus”. A mensagem enviada pelo padre Ángel Fernández Artime aos jovens, por ocasião da Festa de Dom Bosco, é uma mensagem de gratidão, esperança e de empenho, que  justamente como Dom Bosco, exorta os jovens a seguirem Jesus segundo a própria autenticidade.

Como em todos os anos, em vista da comemoração litúrgica do Santo dos Jovens, o Reitor-mor, que é sucessor de Dom Bosco, enviou uma carta aos jovens dos cinco continentes.

A carta do padre Ángel Fernández Artime está em plena sintonia com o que o Papa Francisco pediu em diversas ocasiões: “Eu confio em vocês, jovens, e rezo por vocês. Ousem ir contra a corrente”; porque, tanto o Papa como o Reitor-mor estão cientes de que “o mundo de hoje precisa de vocês. Precisa de grandes ideais, que são próprios da sua juventude e dos seus sonhos juvenis”.

E para entrar em maior relação com os jovens que no mundo todo frequentam os pátios digitais, a carta também é acompanhada de uma vídeo-mensagem em que o padre Ángel aborda o mesmo tema de forma mais familiar e direta.

“Jesus pede algo de bom e de grande a cada um de vocês. Convido-os a serem capazes de se comprometer, de terem generosidade até doer, como dizia Madre Teresa de Calcutá, hoje santa: ‘Amar e servir até doer’”, diz o Reitor-mor.

O apelo termina com a exortação a acompanhar os itinerários de crescimento humano e na fé todos os jovens que, cansados e desiludidos, não têm sonhos e esperança e precisam de outros jovens que estejam a seu lado.

Mensagem do Reitor-Mor aos jovens na festa de Dom Bosco
(31 de janeiro de 2017)

Meus queridos jovens de todo o mundo salesiano, queridas jovens e queridos jovens: recebam minha saudação de amigo, de irmão, de pai – em nome de Dom Bosco –, ao fazer-me presente ‘batendo às portas de suas vidas’, na festa do nosso Amado Dom Bosco.
Há alguns dias, o Papa Francisco escrevia uma carta aos jovens para a apresentação do documento que servirá de preparação à XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos a ser celebrado em outubro de 2018. No início dessa carta, o Papa dizia: “eu quis que vocês estivessem no centro da atenção, porque os tenho no coração”. Posso garantir-lhes que eu mesmo sei, por experiência pessoal, o que significa trazê-los no coração e desejar-lhes todo o bem, embora em muitos casos ainda não tenhamos podido nos cumprimentar pessoalmente.
Sabem de uma coisa? Muitas vezes, quando me encontro com jovens do mundo e devo falar-lhes, gosto de pensar que é o que Dom Bosco, em nome de Jesus, gostaria de dizer-lhes.
Mesmo ciente de que é grande a diversidade entre vocês, de acordo com os países e continentes em que vivem, a diversidade das culturas, a diversidade das visões de quem, com seus estudos universitários, se prepara para a vida; e que é muito diferente a realidade de quem tem meios humanos e econômicos para realizar as próprias potencialidades e a realidade de outros jovens que possuem oportunidades muito menores etc., os seus jovens corações sempre têm muito em comum, são muito parecidos apesar das diferenças e, por isso, posso dizer-lhes alguma coisa a todos, independentemente de onde se encontram.
Minha mensagem hoje está em total sintonia como o que lhes pediu algumas vezes o Papa Francisco: “Eu confio em vocês, jovens, e rezo por vocês. Ousem ir contracorrente”.
São muitos os adultos que confiam plenamente em vocês. Eu sou um deles, meus queridos jovens, e os incentivo a serem valorosos em suas vidas. Incentivo-os a terem a força de ir ‘contracorrente’ quando o apelo à fidelidade, a vocês mesmos e a Jesus, ressoar com força no interior de seus corações.
O mundo de hoje precisa de vocês. Precisa de grandes ideais, que são próprios da sua juventude e dos seus sonhos juvenis. O mundo precisa, mais do que nunca, de jovens cheios de esperança e fortaleza, que não tenham medo de viver, de sonhar, de buscar uma profunda e verdadeira felicidade, aquela pela qual Deus habita em seus corações. Jovens que se sintam atraídos pelo compromisso e sejam capazes de se comprometerem e amar “até doer”, como disse certa vez Madre Teresa de Calcutá, hoje santa. Jovens capazes, a partir de seus compromissos, de dar o próprio tempo e dar-se a si mesmos.
Existem também muitos jovens ‘cansados, entediados ou desencantados’, ou que simplesmente nunca se entusiasmaram com nada, jovens muito fracos e frágeis; por isso, precisam de outros jovens, de vocês, que falando da vida e com a mesma linguagem vital, mostrem-lhes que há outros caminhos e possibilidades; jovens que os ajudem a entender realmente que fugir dos desafios da vida nunca é uma solução, e que, também como verdadeiros ‘discípulos-missionários’, os ajudem a descobrir Jesus em suas vidas e a crer n’Ele. Um Jesus que, certamente, ‘não lhes vende fumaça”, mas oferece Vida, daquela autêntica, da sua, Ele mesmo.
Queridos jovens, creio que uma coisa tão simples como esta Dom Bosco poderia dizer-lhes neste 31 de janeiro de 2017, com palavras e linguagem de hoje, assim como também lhes diz o Papa na carta mencionada: “Não tenham medo… Um mundo melhor constrói-se também graças a vocês, ao seu desejo de mudança e à sua generosidade. Não tenham medo de ouvir o Espírito que lhes sugere escolhas audazes, não hesitem quando a consciência lhes pedir que arrisquem para seguir o Mestre”.
Desejo, de todo o coração, que isso aconteça para vocês. Arriscar sempre que se trate de Jesus e de Deus Pai em suas vidas. Nunca lhes faltará a sua Presença por meio do Espírito e será garantia segura do seu caminho humano de felicidade.
Com verdadeiro afeto, cumprimento-os desejando-lhes uma feliz festa de Dom Bosco e a proteção sempre materna de nossa Mãe Auxiliadora.

Ángel Fernández Artime, sdb
Reitor-Mor

Fonte: http://www.boletimsalesiano.org.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *