Numa bela manhã de Outono, Pe. Ilmário, presidiu a celebração da Missa do Domingo de Pentecostes, no Oratório São Luiz.

Consideremos, em primeiro lugar, que no dia de Pentecostes, quando os discípulos estavam todos reunidos juntos, “de repente, veio do céu um ruído como de um vento forte, que encheu toda a casa em que se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia expressar-se” ( At 2, 2-4). Assim receberam eles o Consolador prometido, com todos os seus dons e graças. Assim foram eles completamente transformados em outros homens. De fracos e covardes que eram antes, eles se tornam agora, de repente, corajosos e perfeitos. Começam a pregar com audácia, a proclamar a fé e a lei de seu Senhor crucificado, e trazem milhares de pessoas para abraçá-las. (Pe. Paulo Ricardo)

Nesse lindo dia de festa para a nossa Igreja Universal e renovação de nossos carismas, Pe. Ilmário, com simplicidade e acolhimento, levou a todos a penetrarem no mistério dessa linda celebração.

A comentarista da celebração foi a Viviane:

A 1º Leitura foi proclamada pela leitora Dênia:

Assista abaixo ao Salmo 103 cantado pela salmista Thaís:

A 2º Leitura foi proclamada pelo leitora Nilce:

Assista abaixo à Proclamação do Evangelho pelo Pe. Ilmário:

Assista abaixo à homilia do Pe. Ilmário:

A oração da comunidade foi feita pelo leitora Aline:

Auxiliaram na celebração os pós-noviços salesianos Denis, Giovanni e Leandro:

Auxiliaram na distribuição da Sagrada Eucaristia aos fiéis, os ministros extraordinários da Sagrada Comunhão: Maria Fernanda, Maria Aparecida, Terezinha e Rosana (da esquerda para a direita, na 1º fila), Sebastião, Elaine, Inácia, Valéria e Felipe (atrás).

Auxiliaram na celebração os acólitos Beatriz, Danilo e Marcos; e todos os coroinhas.

A animação musical ficou por conta da Banda Gedalis que deixou a celebração mais bonita e participativa.

Terminada a oração depois da comunhão o Sacerdote se dirige junto ao círio ainda aceso e faz uma breve introdução à liturgia da luz.
Hoje, no dia de Pentecostes, ao fechar-se o Tempo da Páscoa, o Círio foi apagado, este sinal nos é tirado, também porque, educados na escola pascal do mestre Ressuscitado e cheios do fogo dos dons do Espírito Santo, agora, devemos ser nós, “Luz de Cristo” que se irradia, como uma coluna luminosa que passa no mundo, em meio aos irmãos, para guia-los no êxodo em direção ao céu, à “terra prometida” definitiva.
Veremos agora, no desenrolar do ano litúrgico, resplender a luz do Círio Pascal, sobretudo em dois momentos importantes do caminhar da Igreja: Na primeira Páscoa que viveram os seus filhos com a recepção do Batismo, e por ocasião da última Páscoa, quando, com a morte, ingressarão na verdadeira vida.

 

Galeria de Fotos:

(É só clicar na imagem abaixo para abrir o álbum com todas as fotos da celebração)

https://goo.gl/photos/PDKi7W8KftGQFKot9

Deixe sua mensagem para nós: