“Referi-vos essas coisas para que tenhais a paz em mim. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo.” (Jo 16, 33)

Estando na Igreja Católica Apostólica Romana, com certeza você deve ter conhecido a pessoa de Nossa Senhora durante a sua catequese, na oração do terço, nos escritos da Igreja e até mesmo durante a Santa Missa. Deve ter observado que mulher extraordinária Ela é, e o quão nos ama como seus filhos. Mas sem dúvida, uma característica singular de Maria é a oração e o sacrifício. Em suas constantes aparições ao redor do mundo, e aqui cabe lembrar que nenhuma aparição de Nossa Senhora é Dogma de Fé, mas com certeza nos relembram a verdade revelada nos Evangelhos e que através Dela em nossa atualidade, Deus continua a insistir neste convite de amor. Talvez até você pense: Desde quando o sofrimento é um convite de amor? A resposta, vamos compreender a seguir.

“Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua mãe: Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações. E uma espada transpassará a tua alma”. (Lc 2, 34-35)

A primeira lição que Maria nos ensina é que, o sofrimento se tornou algo inerente a vida da humanidade, não por vontade de Deus, mas por causa do pecado. (Cf. Gn 3:3)

A segunda lição que Maria nos ensina é que, apesar da nossa condição de pecadores, Deus não nos abandonou a própria sorte e nos enviou Seu Filho amado para nos redimir. Assim sendo, tal como Ele, podemos vencer o mundo, e nenhum sacrifício é impossível para quem ama. (Cf. Jo 16,33)

A terceira lição que Maria nos ensina é que, diante de qualquer situação precisamos estar em pé! E somente se mantêm em pé quem está apoiado por Deus, na oração. (Cf. Jo. 19:25)

Talvez uma das mais belas meditações que já li sobre a oração e o sacrifício seja essa, de Santa Edith Stein:

“A oração e o sacrifício valem muito mais do que se possa pensar… Por toda e qualquer oração, mesmo pela mais pequenina, acontece algo na Igreja… Aprendamos a servir-nos da oração, para que à cada hora, de cada dia, fazermos uma obra de eternidade”.

As dimensões da oração, sacrifício e do sofrimento são bem mais amplas do que essa minha simples meditação e por mais que eu escreva, nunca será tão completa, compreensível ou intensa, quanto a buscar de se viver cada uma dessas realidades que surgem em nosso dia a dia, na dependência e na ternura do Amor Divino. Cada pessoa é única e somente Deus pode compreendê-la, em todas as dimensões da sua vida, visto que Ele tudo vê, como cada filho amado Seu, vivencia cada circunstância com a força da fé, da esperança e da caridade.

Para encerrar, gostaria de partilhar uma fórmula que talvez, possa lhe ajudar a refletir e a praticar mais profundamente tudo o que lhe explicitei anteriormente. É muito simples e fácil de memorizar:

S = T

R = S

Logo teremos:

O Sacrifício é Temporário

A Recompensa é para Sempre.

Deus lhe abençoe. Salve Maria!

Foto em destaque: https://pixabay.com/

Deixe sua mensagem para nós: