Quinta-feira da 6ª semana da Páscoa

Evangelho (Jo 16, 16-20) 

«Um pouco de tempo, e não mais me vereis; e mais um pouco, e me vereis de novo».

Alguns dos seus discípulos comentavam: «Que significa isto que ele está dizendo: ‘Um pouco de tempo e não mais me vereis, e mais um pouco, e me vereis de novo’ e ‘Eu vou para junto do Pai’? ». Diziam ainda: «O que é esse ‘pouco’? Não entendemos o que ele quer dizer». Jesus entendeu que eles queriam fazer perguntas; então falou: «Estais discutindo porque eu disse: ‘Um pouco de tempo, e não me vereis, e mais um pouco, e me vereis de novo’? Em verdade, em verdade, vos digo: chorareis e lamentareis, mas o mundo se alegrará. Ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria».

Reflexão

Queridos irmãos

A liturgia da Palavra desta quinta-feira da 6ª semana, última, da Páscoa, nos coloca na perspectiva do discurso de despedida de Jesus aos seus discípulos. “A vossa tristeza se transformará em alegria”, diz Jesus aos seus.

Humanamente falando é difícil entender que a partida de quem amamos nos fará ficar alegres. Jesus inverte as situações, os sentimentos. Nós entendemos a alegria enquanto sentimento interior e pessoa que nos deixa bem, alegres. Contrário à isso, Jesus nos diz que a tristeza de sua partida se transformará em alegria, certamente não por sua partida, mas pelo que ela representa: a vinda do Espírito Santo. É preciso entender a partir do interior, do profundo. Ficar no imediato, é não entender, assim como os discípulos, que não entendiam aquelas “confusas” palavras. É preciso passar de um mero sentimentalismo à uma vida de fé, capaz de enxergar em Jesus, o protótipo do cristão, do homem perfeito, fiel a vontade do Pai. Que Deus nos ajude sempre a cumprir o bom propósito de assemelhar-se à Ele.

Leandro Francisco da Silva

Pós-noviço salesiano

E-mail: leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *