Sexta-feira da 2ª semana da quaresma

Evangelho (Mt 21, 33-43;45-46)

33.Ouvi outra parábola: havia um pai de família que plantou uma vinha. Cercou-a com uma sebe, cavou um lagar e edificou uma torre. E, tendo-a arrendado a lavradores, deixou o país.

34.Vindo o tempo da colheita, enviou seus servos aos lavradores para recolher o produto de sua vinha.

35.Mas os lavradores agarraram os servos, feriram um, mataram outro e apedrejaram o terceiro.

36.Enviou outros servos em maior número que os primeiros, e fizeram-lhes o mesmo.

37.Enfim, enviou seu próprio filho, dizendo: Hão de respeitar meu filho.

38.Os lavradores, porém, vendo o filho, disseram uns aos outros: Eis o herdeiro! Matemo-lo e teremos a sua herança!

39.Lançaram-lhe as mãos, conduziram-no para fora da vinha e o assassinaram.

40.Pois bem: quando voltar o senhor da vinha, que fará ele àqueles lavradores?

41.Responderam-lhe: Mandará matar sem piedade aqueles miseráveis e arrendará sua vinha a outros lavradores que lhe pagarão o produto em seu tempo.

42.Jesus acrescentou: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra rejeitada pelos construtores tornou-se a pedra angular; isto é obra do Senhor, e é admirável aos nossos olhos?

43.Por isso vos digo: ser-vos-á tirado o Reino de Deus, e será dado a um povo que produzirá os frutos dele.

45.Ouvindo isto, os príncipes dos sacerdotes e os fariseus compreenderam que era deles que Jesus falava.

46.E procuravam prendê-lo; mas temeram o povo, que o tinha por um profeta.

Reflexão

Queridos irmãos, em Cristo!

O Evangelho de hoje nos apresenta Jesus que conta aos fariseus uma parábola. Nela Jesus se apresenta como o filho do dono de um vinha, rejeitado e morto, pelos seus operários que, na intenção de ter a vinha como sua propriedade, mata o filho e todos os outros enviados do Pai. A grande questão levantada por Jesus, nesta leitura evangélica, é da qual deve ser a reação do Pai, diante dos perversos e desobedientes empregados. Os fariseus respondem que matando-os, cruelmente. Jesus, porém, responde a eles, que o efeito mau dos empregados, terá por consequência a tomada da vinha de suas mãos, entregando-a a outros, que cuide melhor.

Jesus, nos mostra que nem sempre o acolhemos, como filho enviado do Pai, para ser ele mesmo o agricultor na vinha de seu Pai, isto é, o mundo. Cheios de ambição, por vezes, caímos também nós, na tentação de ter, de ser nós mesmos os donos da vinha, da igreja, do grupo, da pastoral… Jesus, nos ensina, porém, que está não é uma atitude de seus verdadeiros discípulos e discípulas, filhos e herdeiros da vinha plantada. É preciso uma conversão do coração para acolhermos no interior de nós mesmos “a pedra que os construtores rejeitaram”. Que este tempo santo da quaresma nos ajude neste bom propósito.

Leandro Francisco da Silva, SDB

Pós-noviço salesiano

E-mail- leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe sua mensagem para nós: