Quarta-feira da 19ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 18, 15-20)

Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos:
15 Se o teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo,
mas em particular, à sós contigo!
Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão.

16 Se ele não te ouvir,
toma contigo mais uma ou duas pessoas,
para que toda a questão seja decidida
sob a palavra de duas ou três testemunhas.
17 Se ele não vos der ouvido, dize-o à Igreja.
Se nem mesmo à Igreja ele ouvir,
seja tratado como se fosse um pagão
ou um pecador público.
18 Em verdade vos digo,
tudo o que ligardes na terra será ligado no céu,
e tudo o que desligardes na terra
será desligado no céu.
19 De novo, eu vos digo:
se dois de vós estiverem de acordo na terra
sobre qualquer coisa que quiserem pedir,
isto vos será concedido por meu Pai que está nos céus.
20 Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome
eu estou ali, no meio deles.’

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia da Palavra desta quarta-feira da 19ª semana comum nos coloca na perspectiva de três aspectos importantes da nossa fé. O primeiro diz respeito a correção fraterna; O segundo o perdão dos pecados e por fim, O terceiro a oração.

O primeiro aspecto diz respeito, fundamentalmente, a correção fraterna com os irmãos. Não poucas vezes vemos nas comunidades irmãos que estão muito ocupados em apontar os erros dos irmãos. O Evangelho de hoje nos apresenta que neste não o caminho ou ao menos a primeira atitude diante dos erros dos irmãos. Uma boa correção fraterna não pode prescindir de um processo que visa a conversão do irmão. É um processo de escuta e de orientação. Aprendamos com Jesus a difícil e necessária arte de corrigir, sem antes condenar.

O segundo aspecto, igualmente importante, é do perdão. Jesus, dirigindo-se aos discípulos, dá a eles o poder de perdoar os pecados. Os verbos ligar e desligar, dizem respeito, unicamente, ao ato de perdoar. É esse mais um gesto de Jesus para nos mostrar sua misericórdia e seu amor pela humanidade. Constitui, para isso, os discípulos como homens da misericórdia. A Igreja é, neste sentido, instrumento e dispensadora da misericórdia de Deus.

Por fim e não menos importante é o terceiro aspecto, a oração. Neste aspecto Jesus frisa a importante de perseverar, juntos, na oração. Os aspectos comunitário e perseverante da oração, constituem duas importantes colunas de uma boa oração à Deus. Que Jesus continue a nos ensinar a rezar, a fazer de nossa vida uma continua oração de louvor a Deus.

Leandro Francisco da Silva

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *