Segunda-feira da 10ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 5, 1-12)

 

Vendo as multidões, Jesus subiu à montanha e sentou-se. Os discípulos aproximaram-se, e ele começou a ensinar:

«Felizes os pobres no espírito, porque deles é o Reino dos Céus. Felizes os que choram, porque serão consolados. Felizes os mansos, porque receberão a terra em herança. Felizes os que têm fome e sede da justiça, porque serão saciados. Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. Felizes os puros de coração, porque verão a Deus. Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus. Felizes os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus. Felizes sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque é grande a vossa recompensa nos céus. Pois foi deste modo que perseguiram os profetas que vieram antes de vós».

 

Reflexão

Queridos irmãos,

A liturgia da Palavra desta segunda-feira, 10ª do tempo comum, nos coloca em uma das cenas mais conhecidas do novo testamento: as bem-aventuranças. O tema da bem-aventurança é algo central no pensamento e a vida de Jesus. Jesus inaugura, com as bem-aventuranças, um itinerário de fé. Ele se dirige a todo povo, numa montanha, para que todos pudessem ver, ouvir e guarda no coração, praticando-as com a vida. É um projeto de vida que nos alcança a todos. É preciso, contudo, os ouvidos atentos a voz do Senhor que nos fala.

O tema da bem-aventurança vai de encontro, é contrário, ao rigorismo com os quais o povo judeu era tratado. A lógica é invertida. Bem-aventurados são os puros, os seguidores e seguidoras de Jesus, homens e mulheres que atentos a voz de Deus, que lhes ensina, praticam na vida seus ensinamentos, não os “fazedores” das leis, homens que se dizem de cumpridores rigorosos da lei, são na verdade, homens que endereçam ao povo seus pesados fardos. Jesus é o mestre que ensina, que não aproveita a pouco leitura e entendimento do povo simples para lhes imputar pesados e insulfocantes fardos.

Com Jesus, aprendamos a ouvir, a ficar atentos a sua voz que nos fala e nos ensina. Jesus é o mestre que ensina e cuida de seus destinatários. Que Ele nos faça sempre fiéis e decididos colabores na sua obra de salvação, transformando em vida tudo o que vemos e ouvimos de Jesus.

Leandro Francisco da Silva, SDB

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe sua mensagem para nós: