Sexta-feira da 9ª semana do tempo comum

Evangelho (Mc 12, 35-37)

 

Então Jesus tomou a palavra e ensinava, no templo: «Por que os escribas dizem que o Cristo é filho de Davi? O próprio Davi, movido pelo Espírito Santo, falou: ‘Disse o Senhor ao meu senhor: Senta-te à minha direita, até que eu ponha teus inimigos debaixo dos teus pés’. Se o próprio Davi o chama de ‘senhor’, como então ele pode ser seu filho? ». E a grande multidão o escutava com prazer.

 

Reflexão

Queridos irmãos e irmãs,

A liturgia da Palavra desta sexta-feira da 9ª semana comum nos apresenta Jesus que se dirige aos seus, no templo de Jerusalém, a pergunta central é feita pelo próprio Jesus, a saber: Por que os escribas dizem que o Cristo é filho de Davi? Uma possível resposta nos vem por meio do apóstolo Pedro, este, testemunha da ressurreição de Jesus, viu claramente que Jesus tinha sido constituído “Senhor de Davi”, porque «Davi morreu e foi sepultado, seu sepulcro ainda se conserva entre nós (…). A este Jesus Deus o tem ressuscitado, e disso somos testemunha todos nós». A ressurreição de Jesus nos revela sua transcendência, sua primazia neste mundo.

O Evangelho de hoje pede-nos que coloquemos como centro de nossa vida, nas relações, inclusive, que detemos com alguém, a pessoa de Jesus. É Ele o centro e fundamento de toda vida cristã. Como o povo que o escutava no templo tenhamos também nós a graça de sentir prazer ao ouvi-lo. Esse é um pressuposto necessário para a capacidade de escuta, no mundo de tantos e dissonantes barulhos, externos e internamente. Que Deus nos ajude nestes bons e fecundos propósitos.

Leandro Francisco da Silva

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe sua mensagem para nós: