Sábado da 18ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 17, 14-20)

14 Naquele tempo, 
chegando Jesus e seus discípulos junto da multidão, 
um homem aproximou-se de Jesus, ajoelhou-se e disse: 

15 ‘Senhor, tem piedade do meu filho. 
Ele é epilético, e sofre ataques tão fortes 
que muitas vezes cai no fogo ou na água. 
16 Levei-o aos teus discípulos, 
mas eles não conseguiram curá-lo!’ 
17 Jesus respondeu: 
‘Ó gente sem fé e perversa! 
Até quando deverei ficar convosco? 
Até quando vos suportarei? 
Trazei aqui o menino.’ 
18 Então Jesus o ameaçou e o demônio saiu dele. 
Na mesma hora o menino ficou curado. 
19 Então, os discípulos aproximaram-se de Jesus 
e lhe perguntaram em particular: 
‘Por que nós não conseguimos expulsar o demônio?’ 
20 Jesus respondeu: 
‘Porque a vossa fé é demasiado pequena. 
Em verdade vos digo, se vós tiverdes fé 
do tamanho de uma semente de mostarda, 
direis a esta montanha: 
‘Vai daqui para lá e ela irá. 
E nada vos será impossível.’ 

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia da Palavra deste sábado da 18ª semana comum nos adverte acerca da fé. A fé é o que torna possível a ação do discípulo. Sem a fé os milagres tendem a não se realizar, fracassa a missão de curar e de libertar do discípulo. O discipulado de Jesus exige fé e confiança na ação e no mandato de Jesus.

Os discípulos ainda no itinerário de fé e de adesão a pessoa de Jesus se veem ainda fracos na fé, não conseguem curar, mandato que receberam do próprio Jesus. Talvez falte a eles a confiança em Jesus. Prenderam-se demasiadamente na sua humanidade, nas suas próprias forças. A fé em Jesus pressupõe um entendimento de que Ele é filho de Deus, mesmo que, concomitantemente, humano. A fé em Jesus exige que nós o clamemos como digno de nossa adoração. É preciso reconhecer em Jesus algo de divino e de “misterioso”. Jesus é Deus e por isso deve sua Palavra ser ouvida e praticada por nós. Esse deve ter sido o erro dos discípulos. Não acreditaram nas palavras de Jesus, quando ainda nos inícios, mandou todos os discípulos para anunciar e curar os doentes.

Que Deus nos dê a graça da fé. A fim de que curemos a todos, material e espiritualmente, aqueles que nos procurarem. A fim de que vendo as obras operadas por Deus, através de nós, O glorifiquem. Amém.

Leandro Francisco da Silva

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe sua mensagem para nós: