Segunda-feira da 22ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Lc 4, 16-30)

Naquele tempo: 
16 Veio Jesus à cidade de Nazaré, onde se tinha criado. 
Conforme seu costume, entrou na sinagoga no sábado, 
e levantou-se para fazer a leitura. 

17 Deram-lhe o livro do profeta Isaías. 
Abrindo o livro, Jesus achou a passagem em que está escrito: 
18 ‘O Espírito do Senhor está sobre mim, 
porque ele me consagrou com a unção 
para anunciar a Boa Nova aos pobres; 
enviou-me para proclamar a libertação aos cativos 
e aos cegos a recuperação da vista; 
para libertar os oprimidos 
19 e para proclamar um ano da graça do Senhor.’ 
20 Depois fechou o livro, 
entregou-o ao ajudante, e sentou-se. 
Todos os que estavam na sinagoga tinham os olhos fixos nele. 
21 Então começou a dizer-lhes: 
‘Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura 
que acabastes de ouvir.’ 
22 Todos davam testemunho a seu respeito, 
admirados com as palavras cheias de encanto 
que saíam da sua boca. 
E diziam: ‘Não é este o filho de José?’ 
23 Jesus, porém, disse: 
‘Sem dúvida, vós me repetireis o provérbio: 
Médico, cura-te a ti mesmo. 
Faze também aqui, em tua terra, 
tudo o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum.’ 
24 E acrescentou: 
‘Em verdade eu vos digo que nenhum profeta 
é bem recebido em sua pátria. 
25 De fato, eu vos digo: 
no tempo do profeta Elias, 
quando não choveu durante três anos e seis meses 
e houve grande fome em toda a região, 
havia muitas viúvas em Israel. 
26 No entanto, a nenhuma delas foi enviado Elias, 
senão a uma viúva que vivia em Sarepta, na Sidônia. 
27 E no tempo do profeta Eliseu, 
havia muitos leprosos em Israel. 
Contudo, nenhum deles foi curado, 
mas sim Naamã, o sírio.’ 
28 Quando ouviram estas palavras de Jesus, 
todos na sinagoga ficaram furiosos. 
29 Levantaram-se e o expulsaram da cidade. 
Levaram-no até ao alto do monte 
sobre o qual a cidade estava construída, 
com a intenção de lançá-lo no precipício. 
30 Jesus, porém, passando pelo meio deles, 
continuou o seu caminho. 

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia desta segunda-feira da 22ª semana do tempo comum nos coloca diante da página bíblica pela qual vemos Jesus que, no templo diante dos judeus, lê a passagem bíblica de Isaías que narra a missão do Filho de Deus, consagrado, entre os homens. Anunciar, libertar e curar, eis o itinerário, a tríplice missão de Jesus. Embora falasse com autoridade, afirmando ser aquele o momento do cumprimento da referida passagem, muitos judeus não o compreendiam.

Os judeus não tinham fé em Jesus, pois era alguém aparentemente “comum” do povo. Um homem igual a todos, filho de José e de Maria. Embora fosse verdadeiramente homem, os judeus paravam aí, não iam adiante, não buscavam compreendê-lo como Filho de Deus. É uma tentação que todos corremos: o de parar na aparência. É preciso ir além do que se vê. É preciso reconhecer, no cotidiano da vida, os muitos sinais de Deus.

Que Deus nos dê a graça da fé, do reconhecimento, nas coisas simples, de quem é verdadeiramente Jesus, o Filho de Deus. Assim seja. Amém.

Leandro Francisco da Silva

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *