Quinta-feira da 21ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 24, 42-51)

Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 
42 Ficai atentos! 
porque não sabeis em que dia virá o Senhor. 

43 Compreendei bem isso: 
se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, 
certamente vigiaria e não deixaria 
que a sua casa fosse arrombada. 
44 Por isso, também vós ficai preparados! 
Porque na hora em que menos pensais, 
o Filho do Homem virá. 
45 Qual é o empregado fiel e prudente, 
que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, 
para lhes dar alimento na hora certa? 
46 Feliz o empregado, 
cujo senhor o encontrar agindo assim, quando voltar. 
47 Em verdade vos digo, 
ele lhe confiará a administração de todos os seus bens. 
48 Mas, se o empregado mau pensar: 
‘Meu senhor está demorando’, 
49 e começar a bater nos companheiros, 
a comer e a beber com os bêbados; 
50 então o senhor desse empregado 
virá no dia em que ele não espera, 
e na hora que ele não sabe. 
51 Ele o partirá ao meio e lhe imporá a sorte dos hipócritas. 
Ali haverá choro e ranger de dentes. 

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia da Palavra desta quinta-feira nos adverte acerca da vigilância. Felizes aqueles a quem o patrão encontrar acordados e vigilantes. O Evangelho de hoje nos adverte para uma questão importante que é o da vigilância. Tema tão esquecido nos dias atuais. O que importa é viver o presente. Desfrutar das oportunidades que a vida propõe. É preciso um necessário retorno a temas importantes quanto este. Nossa ação precisa ser preventiva e atuante.

O evangelho de hoje pede de nós uma postura nova, um novo jeito de ser e de comportar-se. Um jeito novo de quem sabe que a vida é finita e a qualquer momento podemos ir ao encontro com o Senhor da vida. Se quero participar de sua vida, preciso já aqui, na terra, ser introduzido e caminhado na vida divina. O desejo de Deus é que todos nos salvemos. Mas como já dizia Agostinho: “Deus, que te criou sem ti, não te salvará sem ti”.

Que Deus nos dê a graça da vigilância. Na fluidez deste mundo, conservemos, pois, a graça da constância e da perseverança.  Assim seja.

Leandro Francisco da Silva

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *