Quinta-feira da 24ª semana do tempo comum – São Mateus, apóstolo

Evangelho (Mt 9, 9-13)

Naquele tempo:
Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus,
sentado na coletoria de impostos,
e disse-lhe: ‘Segue-me!’
Ele se levantou e seguiu a Jesus.

10 Enquanto Jesus estava à mesa, em casa de Mateus,
vieram muitos cobradores de impostos e pecadores
e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos.
11 Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos
discípulos: ‘Por que vosso mestre come
com os cobradores de impostos e pecadores?’
12 Jesus ouviu a pergunta e respondeu:
‘Aqueles que têm saúde nóo precisam de médico,
mas sim os doentes.
13 Aprendei, pois, o que significa:
`Quero misericórdia e não sacrifício’.
De fato, eu não vim para chamar os justos,
mas os pecadores’.

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia de hoje, da festa de São Mateus, apóstolo e evangelista, nos insere no trecho bíblico da vocação, do chamado de Mateus na coletoria dos impostos.

A grande lição que Jesus nos dá neste Evangelho é a de ir além das aparências. Jesus chama Mateus, um cobrador de impostos, tido por muitos como ladrão. Chama os pecadores para confundir os tidos como “santos e irrepreensíveis diante da comunidade e de Deus”. Homens que arrogavam para si a salvação, dom de Deus a todos os homens de coração aberto a Ele. “Não vim para os sadios, mas para os doentes”. A lógica de Jesus é outra. Muito diferente daquela apresentada pelos falsos e pretensos santos.

Também nós, hoje na igreja, corremos o grave risco de arrogar para si a salvação, condenando a outros. Corremos o risco de determinar quem deve ser escolhido e qual a sua pena. O julgamento é tarefa de Deus, a nós cabe fazer a nossa parte e rezar uns pelos outros. Que Deus nos ajude a viver assim como Mateus, uma vida de conversão e de desprendimento.

Leandro Francisco da Silva

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

 

Deixe sua mensagem para nós: