Os reis magos que encontramos na narração bíblica de Mateus foram alvos de diversas interpretações. Como assim são reis? De onde? E o que significa ser um mago na bíblia? Joseph Ratzinger explora essas perguntas em seu livro sobre a infância de Jesus e depois diz: “Os sábios do oriente constituem um início, representam o encaminhar-se da humanidade para Cristo, inauguram uma procissão que percorre a história inteira”. E é uma procissão que vem, entre outras coisas, a agradecer tão grandioso dom que Deus nos concedeu em Jesus.

Ser agradecidos, ter um coração grato, é a resposta que damos ao reconhecer um dom que alguém nos fez, manifestando que o acolhemos como parte da nossa vida. Ninguém fica grato por receber algo que não lhe interesse, menos ainda se nem se percebe qualquer dom sendo feito. Na peregrinação dos Sábios do Oriente encontramos pessoas que perceberam em Jesus, mesmo que distante de suas terras, um dom de Deus. Os presentes que trouxeram, além dos símbolos que são sobre a identidade de Jesus, manifestam esse agradecimento, esse reconhecimento.

Também nós somos chamados a fazer parte dessa peregrinação dos magos. Em que sentido? Somos convidados pela fé e pela razão a aproximar-nos do mistério do Deus que se faz homem em Jesus. E encaminhando-nos até Ele, reconhecendo esse grande dom do Pai para a humanidade, também em nossos corações brotará a gratidão por poder participar de tão imenso presente.

Mas esse reconhecimento poderia parecer que parte de um esforço nosso, que devemos nos esforçar para ver em Jesus o Senhor. Não deixa de ser verdade que precisamos colocar todo nosso empenho nisso, mas sem nunca esquecer que a iniciativa é de Deus. De fato, a epifania que celebramos é a manifestação de Deus. É Ele que se revela para que possamos o encontrar e adorar. O nosso esforço é por reconhecer essa manifestação e somos sempre ajudados pela Graça de Deus, sem a qual não poderíamos fazer muito.

E o grande presente que Deus quer de nós, a nossa resposta de gratidão, é o nosso coração.

Jesus quer reinar em cada coração, mostrando a cada um o que é a vida em abundância que Ele veio mostrar. Os magos do Oriente trouxeram, antes dos presentes de ouro, incenso e mirra, um coração aberto ao mistério de Deus que se revelava naquele menino nascido em Belém. Sem essa abertura interior, não teriam saído de suas terras seguindo a Estrela que os guiou.

Temos muito a agradecer. E quanto mais nos abrirmos ao mistério que Jesus veio nos revelar, mais vamos descobrindo que o nosso agradecimento ainda é pequeno. Que nesses dias possamos olhar mais para o acontecimento do Natal e procurar descobrir nele os motivos mais profundos para sermos pessoas agradecidas com Deus pelo grande presente que nos deu em seu Filho Jesus.

Ir. João Antonio Johas Leão

Fonte: Portal A12.com

Deixe sua mensagem para nós: