Se foi Cristo quem remiu os nossos pecados, o que acontecia com os mortos antes que Ele nos salvasse?

Se foi Cristo quem remiu os nossos pecados e nos trouxe a salvação, então todas as pessoas que viveram e morreram antes da vinda de Jesus ficaram impedidas de ir para o céu?

São Tomás de Aquino responde:

“…A pena do pecado do homem não foi somente a morte do corpo, mas também uma punição na alma. Porque o pecado era também da alma, esta deveria ser punida pela privação da visão divina. Ora, [antes da vinda de Cristo] não se tinha ainda apresentado uma satisfação para que esta privação fosse afastada. Por isso, antes do advento de Cristo, todos desciam aos infernos, até os Santos Patriarcas [Atenção: aqui não se trata do inferno da condenação eterna; o mesmo termo é usado também para se referir a um local igualmente misterioso, em que as almas dos mortos aguardavam a Redenção, privadas da visão de Deus, mas, ao mesmo tempo, sem terem condenado a si mesmas à eterna ausência de Deus]. Muitos que estavam nos infernos para lá desceram mesmo possuindo caridade e fé no Esperado, como Abraão, Isaac, Jacó, Davi e muitos outros homens justos e perfeitos”.

Conforme a tradição, Jesus desceu até os infernos após a Sua Morte para resgatar os justos que esperavam o Redentor, a fim de que, finalmente, eles tivessem acesso à visão de Deus. Vencendo a morte, Cristo libertou os justos e lhes abriu as portas do Céu.

Não se trata necessariamente de um conceito “cronológico”. Para Deus, não existe o tempo: Deus é eterno e tudo é “hoje” para Ele. O conceito humano da “espera” dos mortos pela Redenção de Cristo reflete a nossa forma limitada de compreender, atribuindo sempre uma temporalidade e uma espacialidade aos acontecimentos, inclusive na dimensão espiritual. Como Cristo entrou de fato na história humana ao se encarnar, interpretamos que aqueles que morreram antes da Sua vinda no tempo tiveram de “aguardar” em sentido temporal, cronológico, pela Redenção. O tempo cronológico, porém, não é um conceito que se aplique ao espírito. Na vida espiritual, a eternidade é sempre um “hoje”. O fato que se quer destacar quando se fala da “espera” dos mortos pela Redenção é que somente com a Redenção trazida por Cristo ao mundo é que o ser humano pôde receber, pelos méritos de Cristo, a visão de Deus no Paraíso. Mesmo quem viveu e morreu antes da vinda de Cristo só pôde chegar ao Céu pelos méritos de Cristo.

Fonte: https://pt.aleteia.org/

Deixe sua mensagem para nós: