A resposta é curta, perfeitamente clara e cita exemplos.

Será que qualquer tipo de música pode ser executado dentro de uma igreja?

Quem responde é o cardeal nigeriano Francis Arinze, prefeito emérito da Congregação para o Culto Divino e para a Disciplina dos Sacramentos.

Ele explica a diferença entre o sentido da música litúrgica e o da música voltada para o entretenimento, deixando bem claro que há músicas que simplesmente não se prestam à verdadeira razão de ser da liturgia.

Fonte: https://pt.aleteia.org/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *