Como a Semana Santa é vivida no seu país, na sua cidade, na sua paróquia?

Cada procissão tem suas particularidades, dado que cada lugar tem tradições que foram sendo incorporadas ao acervo cultural cristão. No entanto, a maioria das procissões tem similitudes que tentaremos destacar aqui.

As tradicionais procissões que vemos na Semana Santa têm sua origem nas procissões que, desde a antiguidade, eram realizadas em todos os povos e religiões. Os judeus já faziam procissões na Páscoa, em Pentecostes e na Festa dos Tabernáculos, e os primeiros cristãos se reuniam para levar os corpos dos mártires até o túmulo.

Significado das procissões

A participação em uma procissão significa uma homenagem e um reconhecimento público a Jesus, a Nossa Senhora ou aos santos que são carregados nela.

Na Semana Santa, além disso, existe um motivo penitencial: os penitentes fazem procissão para limpar seus pecados e mostrar publicamente seu arrependimento. As velas que carregam mostram que caminham rumo à luz que é Cristo; e, sendo um ato público de fé, é uma das mais sublimes manifestações externas e públicas de fervor.

A manifestação privada da fé passa a ser pública e as ruas se convertem em igrejas. É por isso que enfeitam as casas, as ruas, e o silêncio predomina em cada canto da Semana Santa.

Estrutura das procissões

Todas as procissões são iguais, ou pelo menos muito parecidas, e praticamente todas seguem uma estrutura muito marcada. Nada é improvisado e, ainda que as imagens sejam o eixo central do cortejo, são os penitentes que vão estruturando a procissão.

A hierarquização é muito importante e se desenvolve de menor a maior relevância. Em Roma, os cortejos imperiais começavam com os estandartes e a música, para finalizar com o imperador divinizado. Algo similar ocorre na Semana Santa.

O primeiro elemento é o anúncio da procissão, com alguém que vai na frente, em geral tocando um sino ou uma matraca, simbolizando a passagem de um lugar profano a um lugar sagrado. Em outros lugares, instrumentos como tambores vão marcando o ritmo da chegada da procissão.

Em geral, a procissão começa com uma cruz sendo carregada pelas pessoas e sua presença é anunciada. Atrás dela, podem usar símbolos de comunidades, irmandades, e os penitentes caminham atrás, com velas: o caminho rumo a Cristo.

Fonte: http://pt.aleteia.org/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *